MASSINI-CAGLIARI, Gladis (UNESP-Araraquara) Identidade Fonológica do Português: Estudo Comparativo - Séculos XIII-XIV e XX-XXI Área: Lingüística PDF Imprimir E-mail
Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 22:10
Modificar o tamanho da letra:

Este projeto objetiva trazer contribuições para a determinação das relações entre mudança lingüística e identidade fonológica, a partir da investigação dos limites entre o que é e o que não é (ou o que era e o que não era) considerado “português” (ou “galego-português”, no período medieval), do ponto de vista do som, para os seus próprios falantes nativos, em duas épocas do contínuo temporal da língua. Do ponto de vista fonológico, o objetivo principal é o estudo comparativo de aspectos da Fonologia do Português Arcaico (PA) e do Português Brasileiro (PB), nas suas dimensões segmental e prosódica. Com relação ao PA, o estudo partirá da comparação das características lingüísticas das cantigas medievais profanas com as das religiosas, acrescentando a dimensão satírica ao recorte do português medieval utilizado como fonte de análise. A relevância deste Projeto reside, principalmente, na descrição, ao lado de fenômenos fonológicos segmentais, de fenômenos prosódicos (tais como acento, ritmo, estruturação silábica) e de processos segmentais condicionados pela estruturação rítmica da língua, em um período passado, do qual não se tem registros orais. Dentre os principais temas eleitos, serão focalizados dois assuntos cruciais para a compreensão das relações entre identidade fonológica e mudança lingüística: 1. estudo da adaptação de estrangeirismos (contraposição do comportamento de nomes comuns e próprios), objetivando investigar a força do sistema fonológico da língua de destino no processo de incorporação de palavras estranhas a esse sistema, em dois recortes temporais específicos, e na definição da “identidade” da língua de chegada. Objetiva-se avaliar em que medida o empréstimo “introduz na língua receptora um microssistema lingüístico novo” (CARVALHO, 2009, P. 85), ou não, no nível fonológico; e 2. investigação da alternância rítmica básica da língua, nos níveis primário e secundário, comparando os dois períodos históricos focalizados. Como a origem e a evolução dos fenômenos prosódicos do Português ainda são, em grande parte, um dos pontos mais inexplorados da história da nossa língua, a descrição dos fenômenos prosódicos e de sua relação com os processos segmentais de um período passado desta língua (no caso, o PA) continua a constituir uma contribuição importante no sentido de elucidar mais completamente a história da Língua Portuguesa.