BITTENCOURT, Vanda de Oliveira (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) Problemas da cultura medieval ibérica: aspectos lingüísticos Área: Lingüística PDF Imprimir E-mail
Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 22:24
Modificar o tamanho da letra:

A pesquisa que aqui se descreve vem sendo desenvolvida, há mais de dez anos, por um grupo de professores e alunos – de Pós-graduação e Graduação – de diferentes áreas e instituições de ensino do Brasil, sob a coordenação geral da Prof.ª Drª.Ângela Vaz Leão. Objetivando conhecer melhor os aspectos lingüísticos, literários e culturais do período medieval ibérico, os pesquisadores que o integram vêm-se dedicando, de um modo especial, à leitura das Cantigas de Santa Maria, compiladas, no século XIII, por D. Afonso X e seus colaboradores da oficina de Toledo. Escritas na língua galego-portuguesa, correspondente à primeira fase do português arcaico, elas são consideradas pelos entendidos como o mais importante e rico cancioneiro mariano de toda a Idade Média européia.
A análise de sua arte literária – e até mesmo musical e pictórica – tem sido conduzida pela Prof.ª Drª. Ângela Vaz Leão, criadora do “Grupo dos Cantigueiros de Santa Maria”, da PUC Minas, que já orientou mais de doze trabalhos – de Mestrado e Doutorado – , tendo sido um deles, de autoria de Bernardo Monteiro de Castro, agraciado com o Prêmio ANPOLL, em 2004.
Por sua vez, os estudos de ordem lingüística têm sido desenvolvidos sob a tutela da Prof.ª Drª. Vanda de Oliveira Bittencourt, que procura adotar linhas de investigação que não se restrinjam à estrutura gramatical, mas se estendam às condições discursivas em que se verifica o uso da língua. Comprometidos, pois, com uma visão interacionista da linguagem, os trabalhos dos orientandos dessa professora têm enfocado questões como: a referenciação do sujeito anafórico; o estatuto formal e funcional das orações adjetivas; a tipologia e os papéis discursivo-textuais das estruturas de tópico; a estruturação narrativa dos poemas de milagres, as estratégias publicitárias em torno da figura de Nossa Senhora, etc.
Como fonte documental da pesquisa, têm sido utilizadas as edições críticas elaboradas por Walter Mettmann (1956-1972 e 1956), bem como a edição fac-similar do “códice rico”, publicada pela editora madrilenha Edilán, em 1979.

Levando em conta os avanços alcançados pelas ciências da linguagem, os estudos literários do cancioneiro afonsino têm procurado aplicá-los tanto no exame de seus aspectos formais – versificação, métrica, rima –, quanto no de seus aspectos estilísticos, simbólicos, históricos e socioculturais. O mesmo se dá com os estudos lingüísticos, seja de caráter lexical, morfossintático, semântico, pragmático ou discursivo-textual.