LEÃO, Ângela Vaz (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) As Cantigas de Santa Maria: documento e monumento da cultura medieval ibérica Área: Letras PDF Imprimir E-mail
Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 22:29
Modificar o tamanho da letra:

O projeto de pesquisas sobre as Cantigas de Santa Maria, de Afonso X, o Sábio, nasceu em sala de aula durante um curso de Poesia medieval galego-portuguesa, ministrado em 1992. Não obstante a ênfase posta no estudo da poesia profana, foi a poesia religiosa do Rei Sábio que, talvez pela sua novidade, motivou os alunos para a formação de um grupo de pesquisas. A partir de então, as pesquisas continuam até hoje, embora o grupo já não seja o mesmo: os seus componentes variam de um ano para o outro, em função do fluxo acadêmico, havendo poucos alunos que, defendendida a dissertação ou tese, continuam a freqüentar o grupo.


A obra compõe-se de uma coleção de 420 poemas, acompanhados de iluminuras e de partituras musicais e distribuídos basicamente entre dois gêneros: o gênero lírico representado por “cantigas de louvor”, que entoam louvores a Santa Maria, e o gênero narrativo, representado por “cantigas de milagre”, que narram milagres por ela operados em vários pontos da Europa e do Oriente Médio. Como esses milagres falam praticamente de tudo, o seu conjunto acaba por constituir, por um lado, um retrato do ser humano na sua variedade de tipos e comportamentos, e por outro lado, um retrato da vida social na Idade Média, com todas as sua características de época. A natureza da obra favorece, assim, a interdisciplinaridade dos estudos, que se colocam numa zona de interface entre a literatura e outras ciências humanas como a história, a psicologia e a filosofia, ou entre a literatura e a história das artes como a música e as artes plásticas, e isso se pode ver através das dissertações e teses defendidas.

Última atualização em Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 22:32