TELLES, Célia Marques (Universidade Federal da Bahia) Estudos sobre a lexicografia românica: fase II Área: Lingüística PDF Imprimir E-mail
Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 22:40
Modificar o tamanho da letra:

Perspectiva de compreender a formação do léxico românico, [relativo] ao estudo do vocabulário alfonsino e ao dos trovadores galego-portugueses, em especial o do cancioneiro satírico. A escolha do texto alfonsino recaiu em um texto de caráter hortatório, no que se acha estritamente ligado ao outro projeto em andamento: o Libro de açedrex, dados y tablas. Quanto ao cancioneiro satírico, tem-se feito recortes a partir de trovadores ou de temas. A hipótese é chegar-se à estruturação do léxico que possibilite esboçar-se a cosmovisão medieval dentro da qual o texto foi urdido e que é representada por ele. O estudo do léxico medieval, em especial o do texto alfonsino e o dos trovadores, mostra duas realidades diferentes, no mesmo contexto social: a corte de reinos da Península Ibérica, o que justifica os dois aspectos discursivos e as duas línguas dos quais se faz necessário estudar a estrutura do sistema lexical, tanto no campo lúdico, como no campo satírico. Tem-se como objetivo principal a estruturação do léxico medieval. Para o estudo lexical a metodologia implica, nos dois casos, as seguintes etapas: a) distribuir as lexias em forma de índice, sem colocar, de início, a acepção; b) nas entradas lexicais, verificar as acepções não dicionarizadas; c) verificar sobretudo a realidade contextual; d) proceder à estruturação dos campos lexicais, estabelecendo os macrocampos e os microcampos, a partir dos hiperônimos; e) distribuir as lexias em forma de índice alfabético, para permitir a sua localização.